O Fantasma de Roger Casement • Andrea Lameirão Mateus e Mariana Bolfarine

MAS o que foi esse barulho agora?
O que temos em nosso portal?
Nunca cruzou os mares, pois
John Bull é amigo do mar;
Mas o velho mar não é o mesmo
Nem é esta a mesma praia.
Que foi esse rugido de escárnio,
Que ruge no rugido do mar?
É o fantasma de Casement
Batendo em nossa porta.

John Bull apoiou o Parlamento,
Todos têm seu dia de sorte,
A nação o admira, pois
Ele sabe bem como dizer,
Seja em festa ou banquete,
Que todos devemos ter
Fé no Império Britânico
Fé na Igreja de Cristo
É o fantasma de Casement
Batendo em nossa porta.

John Bull foi para a Índia
E devemos todos honrá-lo,
Já que as histórias provam
Que ninguém de outra estirpe
Teve tamanho legado,
Nem bebeu leite tão bom,
E sorte em uma casa não há,
Se honestidade não se tem.
É o fantasma de Casement
Batendo em nossa porta.

Passei pela igreja de uma vila
E de sua família achei a tumba
E copiei o que de lá pude ler
Naquela penumbra religiosa;
Achei muitos nomes famosos;
Mas fama e virtude apodrecem.
Que venham os amados e os amargos,
Que venham e soltem um grito;
É o fantasma de Casement
Batendo em nossa porta.

Andrea Martins Lameirão Mateus é professora de Literatura de Língua Inglesa da Graduação em Letras da Universidade Federal do Tocantins, Campus Araguaína. Possui graduação pela Universidade de São Paulo (1998) e doutorado (“A poética multifacetada de Jerome Rothenberg”, 2014) pelo Programa de Estudos Linguísticos e Literários em Inglês da Universidade de São Paulo. Faz pesquisas nas áreas de Tradução Literária e Ensino de Escrita Criativa.


• Tradução por Andrea Martins Lameirão Mateus e Mariana Bolfarine, 2020 • Publicada em nossa primeira edição da revista Diáspora “Conexões Brasil & Irlanda.”