“Desconfinar-te” • Exibição de arte em Lisboa

A arte é o processo que destila todos os impactos de nossa sociedade. Não importa onde e como, ela sempre estará presente em nosso dia-a-dia e por vezes acaba por passar despercebida. Também por vezes, surgem pessoas dispostas a tornar a arte mais perceptível e próxima ao espectador.

É a proposta de Alex Simiema, artista goiano radicado em Lisboa que inicia um novo passo em sua carreira com a intenção de trazer todos os seus mundos para o mundo da arte. Desde muito novo, o tal do Simiema transitou entre o cerrado goiano e as selvas de pedras das cidades europeias. Sua ligação com o direito ambiental, seus laços familiares e suas visitas por diversas tribos no mundo moldaram – e moldam – diretamente sua arte. Trabalhando com lã, grafite, argila, acrílico e acreditando que toda forma de arte é o reservatório de todo o vigor humano, este jovem artista de 27 anos traz para os seus trabalhos a vitalidade do ser. 

Alex Simiema pintando “Amantes”

Multifacetado, é poeta e artista visual, desde as linhas retas de suas poesias até as curvas de suas pinturas, Simiema sempre se preocupou como o clássico poderia se adequar aos tempos modernos e qual poderia ser sua participação nesse processo. Amante da arte urbana é um adepto de tricô contemporâneo, é diretor criativo do Brasil Mata Viva, movimento conservacionista do qual é também fundador. Atualmente concorre a uma vaga na Academia de Belas-Artes Austríaca, participa de concursos de artes pelo mundo e prepara sua primeira exposição aberta ao público lisboeta. 

Com obras produzidas como terapia psicológica durante o período mais crítico da pandemia de COVID-19, Simiema trouxe para suas telas todas as inquietações daquilo que sentia mais falta, os músicos de rua, as drags das noites, a elite na Avenida Liberdade e os amores impossíveis. Em um misto de emoções e de cores, suas obras nos convidam para contemplar a mente deste jovem artista e que nos mostra que as artes conversam entre si, independente do artista.

Esta é a proposta central dessa sua primeira exposição para o público lisboeta, batizada de Desconfinar-te e que acontece em conjunto com outros artistas de renome na cena lusitana como André Maia e Moura para além de Sara Maria, da Mitó, hub criativo situado em Arroios que acreditou e acolheu esse tal de Simiema.

Para essa primeira exposição pós confinamento, o nome não poderia ser mais explícito e irá surpreender os amantes das artes trazendo uma ligação da cultura portuguesa com a brasileira e com a harmonia de artistas com linguagens tão distintas.

“Tupã-tronik: os deuses da chuva”

Uma reflexão sobre poluição e vida urbana, utilizando da referência à cultura tupi para trazer uma versão ciborgue dos deuses da chuva na forma de poluição e chuva ácida. 

70x140x4 cm, técnica mista sobre tela. 2020. 

“Macunaíma encontra a Muiraquitã”

Esta obra representa uma retomada de alguns temas abertos por Mário de Andrade no seu livro “Macunaíma: o herói sem caráter”, de 1928. Esta obra busca representar visualmente o Realismo Mágico proposto por Andrade e oferecer um epílogo ao livro em forma de final alternativo.

60x120x4cm, técnica mista sobre tela. 2020. 

“Anhanguera na Serra dos Martírios”

O tema central desta obra é a busca pela mítica Serra dos Martírios feita pelo Anhanguera no sertão do Brasil, que se realizou sobre genocídio indígena, escravidão negra e devastação ambiental, justificada pela promessa da prosperidade prometida pelas riquezas fabulosas da suposta Serra. Esta busca acabaria por arruinar o próprio Anhanguera, levando-o a falecer na pobreza em Vila Boa de Goiás.   Dentro de uma proposta iconoclasta, o próprio Anhanguera é representado como um demónio de ouro e cobre.

70x140x4vm, técnica mista sobre tela. 2020. 

Quando e onde:

A Desconfinar-te ocorrerá a partir do dia 25 de junho na Mitó Creative Site, situada na Rua de Arroios, 95 A – LISBOA às 17 horas e terá uma limitação de público devido às orientações do DGS.

• texto por Alex Simiema & João Melo

Para acessar mais trabalhos do Alex Simiema e também adquirir alguma de sua obras acesse aqui o site P55.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *