“Sim eu digo sim!”

E é assim que finaliza o final de Ulysses, com a frase mais famosa e significativa na literatura, dita pela personagem Molly Bloom, esposa de Leopold Bloom.

Dividida em 18 capítulos, cada um representando uma hora do dia de Leopold Bloom, um único dia de intensos acontecimentos, de constantes movimentos do tempo e da mente, repletos de epifanias e fluxos de consciência para os personagens, leitores e apaixonados por Joyce.

Nessa odisséia de Leopold, que se inicia às 8 da manhã do dia 16 de junho, ele anda pelas cidades de Dublin, entra em farmácia e jornal, responde cartas, conversa com pessoas e foge de outras, dando sempre espaço e tempo para a esposa receber o amante em sua casa.

Estamos há alguns dias do festival literário celebrado todo ano mundialmente: o Bloomsday; e como Molly ficou em casa, todos nós também ficaremos. Não pelo fato de termos amantes para receber, claro, quer dizer… Sim, sim, ficaremos em casa e iremos celebrar digitalmente e remotamente, como é o que fará a escritora e tradutora brasileira Dirce Waltrick Do Amarante.

Dirce Waltrick Do Amarante além de traduzir o Finnegans Wake, produziu a peça de teatro “My Little Ireland”, que é uma adaptação de alguns capítulos de Finnegans Wake e de cartas trocadas por James Joyce e Nora Barnacle. Dirce disponibilizou a peça para ser assistida pelo canal do YouTube, e ela também estará “Indoors with Molly Bloom”, um encontro online com leituras e conversas com convidados de diversas línguas trazendo o espírito da poética de Joyce.

“Acho que o virtual é a linguagem do momento. O Bloomsday online tem reunido pessoas das mais diferentes partes do mundo e criado um diálogo maior, essa é a minha impressão, entre os leitores e estudiosos de James Joyce. Obviamente que é uma experiência única circular pela ruas de Dublin, no dia 16 de junho, e fazer o percurso de Leopold Bloom, ouvindo fragmentos de “Ulisses”, música etc.”

– Dirce Waltrick Do Amarante

MY LITTLE IRELAND (CICLOPATAS THEATER GROUP, BRAZIL)

“Como é que andam as horas. E um quarto. Tem tempo ainda. Melhor mandar fazer aquela loção. Onde é que é? Ah é, da ultima vez. A Sweny’s na Lincoln Place. Os farmacêuticos raramente se mudam.”

Aqui pela Irlanda, são inúmeros os eventos online que acontecerão, e por conta do momento em qual vivemos, a oportunidade de alcançar mais pessoas para a celebração é fantástica.

Sweny’s Pharmacy, a farmácia em que Leopold Bloom compra o sabonete de essência de limão e a loção para Molly, recebe anualmente milhares de pessoas de diversos lugares do mundo para o festival, será também digital. O voluntário e administrador PJ Murphy sabe que será diferente, mas com a mesma animação e expectativa cultural de sempre:

“Bloomsday será bem diferente para todos nós esse ano, pela primeira vez lendo Ulysses por inteiro das 10 horas da manhã do dia 15 até as 10 da noite do dia 16 de junho, todos os capítulos em intervalos de 3 horas através do Zoom, e com leitores de todos os lugares do mundo, incluindo Brasil, Argentina, Rússia, Itália, Espanha, Alemanha, Estados Unidos e Inglaterra.”

PJ Murphy na Sweny’s Pharmacy em Dublin • Foto: Marluce Lima

Para saber mais sobre a leitura de Ulysses organizada pelos voluntários da Sweny’s Pharmacy acesse a página deles do Facebook e acesse também a página do Bloomsday Festival para mais programações: http://www.bloomsdayfestival.ie/bloomsday-programme.

“e sim eu digo sim”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *