“Descobertas”

“Por momentos de calma
momentos de paz
momentos de certezas
de saber o que faz

Instantes de leitura
de ouvir a chuva
segundos de solitude
e paz no coração”

O trecho acima é de um poema da Juliana Borges, que conversou conosco nesta edição do Podcast Diáspora: “Descobertas”. Você pode ouví-lo na íntegra em nosso podcast e também lê-lo em seu site When We Travel. Projeto no qual a Jú escreve sobre as transformações que uma pessoa sofre ao se mudar. Além de poemas, lá você pode encontrar lições que ela aprendeu, dúvidas, medos, conquistas, alegrias e tudo mais sobre a experiência de viagens e de morar no exterior por 11 anos (completados exatamente no dia em que batemos esse papo).

Juliana é apaixonada por livros, escrever e quebrar a rotina com muito a dizer. Com mestrado em jornalismo, comunicação e mídia ela acredita que a arte é a melhor maneira de tocar a vida das pessoas e a comunicação é a melhor maneira de alcançá-las. Seus documentos são classificados em ordem alfabética, mas suas roupas se amontoam no chão. Ela tem muitos planos de vida, é uma pena que haja muitos para caber em uma só vida.

“Com o tempo você aprende a olhar a felicidade de modo diferente”

Desde menina teve o desejo de morar fora e veio parar na capital da Irlanda. Pode-se então dizer que ela se transformou em completa estrangeira, com propriedade para dizer (e escrever) sobre o assunto.

Acredita que o estrangeiro é capaz de fazer e se sentir parte da sociedade na qual vive e que é possível um estrangeiro impactar outros solos com a influência da arte e da música. É preciso “conhecer a arte para conhecer a cultura.”

“Sem a arte não há descoberta”

Aos 26 minutos da nossa conversa mudamos de língua, passamos a explorar o mundo através do inglês, linguagem que também ensina muito a um estrangeiro. Através dela podemos conhecer outras falas, modos e culturas, como no Kênia, por exemplo, destino o qual mudou a vida da Jú, que por três meses esteve lá trabalhando para um projeto social com as crianças africanas.

Vem fazer parte dessa conversa, mande suas reflexões também, se é um estrangeiro nos diz qual foi a sua maior descoberta?


Escute tambem o Podcast “O canto do poeta”, com Rafael Mendes.

One thought on ““Descobertas”

  1. Rui Almeida Borges says:

    Sempre penso que a conheço. Mas aí ela faz ou fala algo. Surpreende e aí entendo que a conheço. Não porque já sei . Mas só porque aprendi a ver e respeitar seu ineditismo. Sua busca perene por algo que realmente não queira possuir mas quer só fazer parte da busca. Quer saber o que é saber e não possuir a própria sabedoria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *